quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

A CRIAÇÃO DE UM INSTITUTO DE SAÚDE DO SERVIDOR PÚBLICO DE MARABÁ VOLTARÁ A SER DISCUTIDA

UNIDADE DO IASEP EM CASTANHAL

Desde o governo municipal passado que o Sintepp lançou a proposta da criação de um Instituto de Saúde que atendesse ao servidor público municipal de Marabá, como já funcionou em outros tempos o Ipasemar. No último ano do governo Maurino foi criada uma comissão, da qual fizemos parte,  para fazer estudos e ver a possibilidade desse instituto ser criado. O atual prefeito está reativando essa comissão. 
Segundo palesta que tivemos ministrada por um diretor da Unimed na época da primeira comissão, há duas formas básicas para se criar um Plano de Assistência à Saúde que atenda os servidores municipais. Uma das saídas seria contratar um plano de saúde já existente, como a Unimed, por exemplo. Essa contratação poderia ser feita de duas formas: pelo modelo do plano pré-pago, no qual o servidor adere ao plano, paga uma mensalidade e usa quando necessitar sem nenhuma despesa adicional; ou pelo modelo da co-participação, na qual o servidor paga uma mensalidade menor, arcando com as despesas adicionais. Segundo o palestrante, os dois modelos apresentam problemas. O plano pré-pago tem um reajuste muito alto no final de cada ano de contrato, mais do que o servidor pode absorver, de 30 à 40%, isso ocorre devido o alto índice de sinistralidade dos servidores da saúde e educação. Na co-participação o valor fica mais alto conforme o servidor fizer uso dos serviços. Infelizmente, os servidores municipais amargaram esses dois modelos com o convênio firmado entre a prefeitura e a Unimed. 
A outra forma seria a prefeitura criar um plano próprio de assistência à saúde. Seguindo o modelo da auto-gestão, como é o IASEP. Para se criar esse Plano de Assistência à Saúde - PAS, pelo modelo da auto-gestão, é preciso seguir um rigoroso processo normatizado pela ANS para obter a autorização. É preciso criar um fundo próprio, o que viria com o desconto na folha do servidor. Acontece que essa filiação não pode ser compulsória, o servidor poderá aderir ou não. Marabá possui em torno de 11 mil servidores, segundo o palestrante da Unimed, é preciso no mínimo 20 mil filiados pagantes, para poder manter o plano. Vamos dar o desconto, levando em conta que a Unimed visa o lucro, contaremos com um número de 15 mil pagantes, mesmo assim nosso município ainda não possui esse número. Se considerar que boa parte desses ganha um salário mínimo, fica mais complicado ainda. 
Pensamos na possibilidade de ser reativado o plano de assistência à saúde como já funcionou aqui em Marabá através do Ipasemar, que é o nosso Instituto de previdência. Descobrimos que isso não é possível. A atual legislação não permite usar o fundo previdenciário para fomentar plano de assistência à saúde. Na capital Belém, existe o IPAMB - Instituto de Assistência e Previdência do Município de Belém funcionando, a exemplo do que já foi o Ipasemar, usando o fundo da previdência municipal para financiar um plano de assistência à saúde. Fizemos uma visita ao instituto da capital para averiguar a situação. Descobrimos que o IPAMB existe, ainda, por força de decisão liminar, são mais de cinquenta mil servidores assistidos pelo instituto, por isso a justiça é cautelosa em desativá-lo, conforme nos esclareceu um de seus diretores. 
Fizemos também uma visita ao IASEP - Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Pará. Esse é o melhor exemplo que nos serve de modelo, pela sua estrutura jurídica. Trata-se de uma autarquia, mantida por fundo próprio. O servidor que adere a esse plano autoriza descontar 6% de seu salário. São mais de 100 mil servidores atendidos pelo IASEP  somente na unidade de Castanhal, conforme indica Agência Pará. Um número considerável de pessoas pagantes e o plano funciona mesmo pra valer apenas na região metropolitana, a arrecadação mantem com folga as despesas. O que não seria a nossa realidade. 
Devido as complicações políticas que marcaram o final do mandato do governo Maurino, a comissão não chegou a oficializar um relatório final. Todavia, é consenso entre os que participaram das discussões que a melhor forma para se criar um PAS para Marabá seria através do modelo de auto-gestão. Para isso, porém, é preciso haver uma contrapartida financeira da prefeitura para subsidiar a criação do fundo. Esse Instituto de Assistência à Saúde seria benéfico tanto ao servidor, que teria um amparo maior, como para a população, pois ajudaria a desafogar a rede pública municipal de saúde. 
Bons tempos aqueles quando o servidor municipal que adoecia tinha tratamento digno em hospital particular, internado em apartamento individual com ar-condicionado. 


terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

SINTEPP DENUNCIA O GOVERNO JATENE AO MP E PREPARA GREVE ESTADUAL






A Coordenação Estadual do Sintepp prepara uma caravana que visitará o Ministério Público Estadual (MPE) nesta quarta-feira (25) a partir das 9h e formalizará denúncia contra o governador do Estado, Simão Jatene (PSDB) que até o momento não apresentou nenhuma perspectiva para o pagamento do piso nacional dos profissionais da educação estabelecido desde 06 de janeiro.


Entre as denúncias também está a ausência de reformas nas escolas que vem precarizando ainda mais o trabalho docente e prejudica o processo de ensino e aprendizagem dos estudantes paraenses.


Os trabalhadores estão descontentes com a chamada nova-velha política de Jatene para a educação. “O Sintepp ouviu da Secretária de Administração, Alice Viana, e do Secretário de Educação, Helenilson Pontes, em audiência no final de janeiro que não existem recursos disponíveis para o cumprimento da lei do piso que passou de R$ 1.697,00 no ano passado para R$ 1.917,78 em 2015. A notícia desagradou veementemente os educadores”, antecipa Mateus Ferreira, Coordenador Geral do Sintepp.


A categoria, reunida em assembleia geral, deliberou por uma marcha em defesa da educação com paralisação para o próximo dia 19.03 e no dia seguinte (20) realizará nova assembleia, onde será avaliado o indicativo de greve.


Artes: Sintepp

PAGAMENTO DA EDUCAÇÃO PODERÁ SAIR NA SEXTA-FEIRA


Durante a reunião que aconteceu hoje à tarde, o secretário de educação informou que o pagamento poderá sair ainda na sexta-feira dia 27/02. Esse mês, excepcionalmente, a prefeitura recebeu recursos suficientes para efetuar o pagamento da folha da Semed antes do fechamento do mês. Tudo dependerá da Secretaria de Administração fechar a folha até sexta-feira pela manhã, conforme prometeu o secretário Ademir Martins. Caso isso aconteça, até o final do dia 27 o salário dos servidores deverão está liberados. Cabe lembrar que nesse pagamento já deverá vir o aumento do piso salarial e o retroativo de janeiro. 
Outro ponto que avançamos foi relativo ao pagamento da progressão horizontal dos auxiliares de secretaria, conforme reza o Artigo 37 do PCCR. O incrível é que tanto o secretário quanto sua equipe disseram desconhecer o teor do artigo quando cobrado pelo Sintepp. "Se a lei garante, vamos pagar", disse o secretário. a professora Marilza Leite, diretora do DRH, ficou de encaminhar essa situação. 
outra reunião deverá acontecer na próxima semana para rediscutirmos a proposta de implementação da hora-atividade. 

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

CASO SÉRIO

Suely Rodrigues, servidora do CTA

Campanha de Carnaval do CTA detecta mais cinco HIV positivos
Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) detectou durante o período de Carnaval, de 14 a 17 de fevereiro, cinco novos HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) positivos em Marabá, por meio do teste rápido aplicado em diversos pontos da cidade. Os novos portadores diagnosticados procuraram orientação sobre o vírus logo após a Folia de Momo, o que fará com que tenham vida longa se cumprirem o tratamento e recomendações essenciais para não chegarem à fatal imunodeficiência.
Com o slogan: “Aids, é preciso manter o foco na Prevenção!”, o CTA contou com uma equipe na Praça São Félix de Valois, na Marabá Pioneira; uma no Bairro Liberdade; uma no São Félix III; uma no Novo Horizonte, acompanhando o Bloco “Gaiola das Loucas” e outra equipe acompanhará o Bloco Vai Quem Quer, na Nova Marabá.
Além dos testes rápidos de HIV, também foram realizados de Hepatite B e C. Ao total, foram 2.280 exames, dentre estes 760 testes rápidos de HIV. Dos cinco casos confirmados, quatro foram detectados em testes feitos na Marabá Pioneira e um no Bairro Liberdade.
O que chama atenção é que todos os novos casos detectados foram em homens.
Dois casos de Hepatite C e um de Hepatite B também foram confirmados. Os testes eram realizados e em 20 minutos o paciente recebia o resultado. Com esses novos casos, o município dispõe de 1.559 pessoas cadastradas e em acompanhamento pelo CTA em consequência do HIV – Vírus da Imunodeficiência Humana.

Números
Em janeiro deste ano, 26 novos casos foram diagnosticados, destes, 15 homens e 11 mulheres. No mês de fevereiro, até esta segunda-feira, 23, foram confirmados no CTA 14 novos casos, sendo sete homens e sete mulheres. Totalizando, 40 novos casos em 2015.
Suely Rodrigues ressalta, entretanto, que destes, 22 pacientes foram encaminhados de outros municípios, uma vez que o Centro de Testagem e Aconselhamento é referência na região.
Ela orienta as pessoas que tenham tido relações sexuais há pelo menos três meses, sem preservativos, que procurem o órgão, para realizar o teste rápido. O exame é feito às 7 horas, de segunda a sexta-feira.  O Centro de Testagem está localizado na Travessa Santa Terezinha, s/n, Bairro Marabá Pioneira. (Texto: Alessandra Gonçalves/Foto: Dinho Aires)    

ATENÇÃO

Estamos chegando próximo de 1.000.000 de visualizações, fato a ser comemorado por um site no domínio blogspot. É hora de tornar nossa página mais profissional. A partir do próximo mês, estaremos mudando nosso site para domínio registado no Registo.br. Nada mudará em nossa página, apenas o endereço que passará de aurismarqueiroz.blogspot.com para www.gazetando.com.br. É sabido que muitas empresas, faculdades, escolas e outros órgãos de governo bloqueiam a busca no domínio blogspot. A partir do dia 01/03 o novo endereço estará funcionando. Você buscará o site normalmente como sempre tem feito, e será encaminhado para o novo endereço. 
Espero continuar contando com valioso acesso dos companheiros.
Um grande abraço.  

REUNIÃO DA COMISSÃO QUE DISCUTE A HORA ATIVIDADE SERÁ AMANHÃ

FONTE IMAGEM: GOOGLE IMAGEM
Buscando uma saída para o nó que se tornou a implementação da hora-atividade na rede pública municipal de ensino de Marabá, a comissão de gestão do PCCR fará mais uma rodada de estudos amanhã dia 24/02. A reunião acontecerá no gabinete do secretário de educação municipal. 
A lei garante que um terço da jornada de trabalho do professor seja destinada a hora-atividade, todavia o texto é genérico e não diz como isso deve ser implementado. Uma coisa tem ficado claro para a companheirada, essa implementação não é algo fácil de se praticar. 
Um dos problemas está na forma como a rede municipal está organizada. Temos o primeiro segmento lotado por jornada de 20 ou 40 horas semanais, o que equivale a 100 ou 200 horas mensais; por outro lado, o segundo segmento é lotado por hora-aula. Pelo sistema de hora-aula, é preciso fazer adequações no currículo do município para dá certo a lotação do professor. Esse é outro problema, sempre que aparece uma proposta modificando uma ou outra disciplina os companheiros que ministram aula na disciplina a ser modificada reclamam. Nisso passou-se o ano de 2014 e não se conseguiu chegar a um consenso. 
O governo havia se comprometido fazer a implementação desse direito já em janeiro, mas resolveu dá "última forma", como se diz no quartel para voltar a trás. Como não se tinha uma proposta definida, nem recursos, segundo o prefeito, o compromisso é continuar discutindo para se cumprir o prazo legal de se implementar a hora-atividade que é "até 2016", conforme estabeleceu o legislador. 

domingo, 22 de fevereiro de 2015

O BLOGUEIRO VAI VOLTAR

Companheiros e Companheiras,

Quem sempre acompanhou esse bolg sabe o quanto fui assíduo em manter a categoria informada sobre tudo o que acontece de interesse da base desde 2011, quando abri essa página. Porém, já há algum tempo comecei escasseando as informações até chegar a parar de vez. Todavia, tenho recebido constante cobrança da companheirada com relação a isso.    
É claro que por trás dessa minha ausência existe o lado pessoal, humano que se desgasta. Precisei dá um tempo a mim mesmo para reflexão, precisei ir ao deserto e ser tentado pelo diabo do ostracismo, do isolamento, de certo ponto até meio misantropo.   Agora estou ciente de que a minha missão com a categoria ainda não acabou. Tenho o compromisso de fortalecer nossa luta através dessa página. Voltarei a fazer isso com a mesma disposição e paixão que sempre tive.
Um abraço a todos. 

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Ministro da Educação quer Enem online ainda este ano

Posted: 14 Feb 2015 09:00 AM PST
Em 2012, a presidenta Dilma Rousseff e o então ministro da educação Fernando Haddad cogitaram adotar um sistema de mais de uma edição do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) por ano. Por diversas questões, dentre elas a logística, tal ideia não foi concretizada e atualmente o Enem é aplicado uma vez por ano e de forma presencial.
Entretanto, o novo ministro da Educação, Cid Gomes, realizou uma entrevista coletiva no dia 5 de fevereiro afirmando querer implantar um sistema de Enem online ainda em 2015. Nessa modalidade, haveria lugares credenciados para a realização da prova via internet e o aluno poderia realizar a prova em qualquer dia e horário, e quantas vezes por ano desejasse, ficando a cargo das universidades a utilização dessas notas. Clique aqui para ver mais detalhes sobre as possibilidade e as dificuldades desse sistema de aplicação do exame.
Veja abaixo a declaração feita por Cid Gomes a respeito da possível implantação do sistema:
Devemos trabalhar com a tecnologia para poder ter o Enem o tempo inteiro, toda hora, todo dia. Podemos ter diversos locais pelo país com computadores e salas seguras. Para isso é preciso termos um grande banco de questões
Da mesma forma que em 2012, logística, segurança e um grande banco de questões são os principais empecilhos que ainda dificultam (e muito!) a implantação dessa modalidade tão desejada pelas autoridades. Sobre a necessidade de um banco de questões com 8 mil questões de cada caderno, que é o desejado pelo ministro, ele disse que seria necessário realizar um grande edital para que muitos professores façam questões para o bano de dados. Ainda segundo o ministro, não haveria a necessidade do sigilo, devido principalmente a enorme quantidade de itens.
Além das 32 mil questões, ao todo, o ministro também deseja implantar uma lista com quatro ou cinco propostas de redação, para que o aluno, no momento da prova, possa escolher um tema para dissertar.
Quanto a inscrição, Gomes deseja que o governo seja responsável pelo pagamento das despesas da primeira prova, ficando o candidato isento. O candidato pagaria a taxa de inscrição somente nas demais aplicações.
Para viabilizar essa ideia, o ministro pretende realizar uma consulta pública no próximo mês, colocando em pauta a nova (e possível!) modalidade do exame.
Fonte: Guia do Estudante 

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Prefeito determina reajuste de 38,96% no vale alimentação dos servidores municipais


Em reunião extraordinária da Mesa de Negociação Permanente com os sindicatos, o prefeito João Salame acertou na última quarta-feira (4) o reajuste de 38,96% no vale alimentação dos servidores municipais. Com isso o benefício passa de R$ 161,20 para R$ 224,00.
Outro ponto discutido foi a implantação do piso salarial dos motoristas e operadores de máquinas da prefeitura. Será encaminhado um projeto de lei para aprovação na Câmara Municipal de Marabá (CMM) estabelecendo que motoristas deixarão de receber salário mínimo para receber R$ 1380,00 e que os operadores de máquina passarão a receber 1572,00. O projeto de lei deve passar por votação no fim do mês, quando a CMM volta do recesso.
Já sobre os salários de Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Combate de Endemias (ACE) ficou definido que o prefeito participará de nova reunião com o secretário de Saúde e o Sintesp (Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Pará) para ajustar os valores retroativos, bem como o pagamento do incentivo financeiro concedido pelo governo federal no final do ano.
O piso financeiro da Educação também estava na pauta de discussão e ficou acertado que os servidores receberão este mês o pagamento retroativo a janeiro.
Ainda foi autorizada pelo prefeito a criação das portarias para montagem das comissões dos Planos de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) Geral, da Saúde, Regime Jurídico e Instituto de Saúde do Servidor.
Por fim ficou acertado que haverá reunião específica para tratar da arrecadação municipal. Participaram da reunião representantes do Servimar (Sindicato dos Servidores de Marabá), do Sintepp (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará) e do Sintesp (Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Pará), além de representantes das secretarias de Administração (Semad), de Planejamento (Seplan), de Saúde (SMS), Educação (Semed), e da Procuradoria Geral do Município (Progem). (Texto: Fabiane Barbosa/ Fotos: Helder Messiahs)

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

PAGAMENTO DO ESTADO COMEÇA A SAIR HOJE, MAS AUMENTO DO PISO, NADA!

SEU SILÊNCIO NOS PREOCUPA

O governo estadual divulgou hoje, 27/01, o calendário de pagamento dos servidores estaduais. Como já é de costume, a Secretaria de Educação será a última a efetuar o pagamento dos seus servidores, que receberão na sexta-feira, dia 30/01. Quanto a isso, quem é servidor do estado já está acostumado e não há nenhuma surpresa. A surpresa veio mesmo na hora de consultar o contra-cheque no Portal do Servidor: nada de aumento do piso, nada do 1/6 de férias para o professor
Ligamos para a coordenação estadual do Sintepp em Belém para obtermos alguma informação sobre o fato e conversamos com o Secretario Geral da Estadual, professor Beto Andrade. Ele nos disse que até o momento o governo tem se mantido em silêncio, sem nada divulgar para o sindicato. E que, segundo Beto informou, foram feitas várias tentativas de reunião com equipe da Seduc e representantes do governo para ser discutido o pagamento do aumento do piso salarial, mas até agora, apenas um agendamento para o dia 30, sexta-feira. Caso essa reunião aconteça, na próxima semana, possivelmente dia 06/02, será realizada, em Belém, uma Assembleia Geral, para repassar para a categoria o que foi debatido e negociado com o governo. 
Sobre o não pagamento do 1/6 de férias agora, já no pagamento de janeiro, como esperávamos, Beto explicou que esse pagamento geralmente sai no mês em que o professor entra em recesso, dessa forma devemos recebê-lo no pagamento de fevereiro. Beto explicou ainda que as mudanças dos quadros de segundo escalão da Seduc, que estão sendo efetuadas agora em janeiro tem dificultado o contato direto com aquela secretaria. 
Sabemos que essas negociação de início de ano é absolutamente normal. Como vem primeiro o aumento para depois vir a grana, é natural haver uma negociação sobre como pagar o aumento do piso e garantir o pagamento do 1/6 de férias para o professor. O que nos deixa em alerta é o descaso do governo estadual. O seu discurso lamurioso nos meios de informação é preocupante. Temos que ficar atentos a isso. 
A pior coisa para a Rede Estadual de Ensino, seria o estouro de mais uma greve. O calendário da rede está atrasado, a qualidade do ensino só cai, não há tranquilidade para trabalhar e fazer greve. Falta compromisso do governo com  a qualidade do ensino, quando ele não dá aos trabalhadores da educação o devido respeito. 

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

CONFIRA AS 10 MAIORES NOTAS DE CORTE DO SISU 2015


O processo seletivo do Sisu 2015 começou na última segunda-feira, 19 de janeiro. Durante o período de inscrições, que segue até o final da quinta-feira (22), o Ministério da Educação (MEC) atualiza diariamente as notas de corte de todas as opções de curso, turno e modalidade oferecidas no Sistema de Seleção Unificada.

Desta forma, o MEC é capaz de identificar inúmeras informações a respeito desta edição do Sisu. Na noite de ontem (20), além de divulgar o tradicional balanço com número de inscritos e inscrições, a Assessoria de Comunicação Social da pasta liberou um arquivo com os 10 cursos com as notas de corte mais altas do Sisu 2015, após o encerramento do primeiro dia de inscrições.

O destaque vai para o curso de direito da Universidade Federal Fluminense (UFF), na modalidade de ampla concorrência, cuja nota de corte foi de 827,37 pontos. Confira a lista completa na tabela abaixo:


10 Maiores Notas de Corte do Sisu 2015 – Atualização dia 20/01
Instituição Campus Curso Nota
1) UFF ESCOLA DE ENGENHARIA DE VOLTA REDONDA DIREITO 827,37
2) UFRJ CIDADE UNIVERSITÁRIA MEDICINA 821,64
3) UFRJ CIDADE UNIVERSITÁRIA ENGENHARIA QUÍMICA 814,95
4) UFMG CAMPUS SAÚDE MEDICINA 809,32
5) UFOP CAMPUS MORRO DO CRUZEIRO MEDICINA 809,11
6) UFPE CARUARU MEDICINA 807,69
7) UFU CAMPUS SANTA MÔNICA/REITORIA ENGENHARIA AERONÁUTICA 806,98
8) UFTM HOSPITAL DE CLÍNICAS DA UFTM (HC) MEDICINA 802,58
9) UFRJ PRAIA VERMELHA CIÊNCIAS ECONÔMICAS 801,07
10) UEMS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CAMPO GRANDE MEDICINA 796,99
* Notas de corte divulgadas pelo Sisu à 0h do dia 20 de janeiro de 2015.

É importante esclarecer que, conforme informado pelo próprio MEC, a lista leva em consideração as instituições que ofertam 100% de suas vagas pelo Sisu e que não atribuíram bonificação (políticas afirmativas) às notas dos participantes.

Vale ressaltar ainda que tais notas informadas na tabela provavelmente não serão iguais ao final do processo, uma vez que o sistema é dinâmico e permite que os candidatos alterem suas opções de curso, o que consequentemente deve alterar as notas de corte até o fechamento das inscrições.

EDUCAÇÃO EM ESTADO DE GREVE


Em plenária que aconteceu ontem, a partir das 15 horas, na Sede Campestre Professor Evandro Viana (Club do Sintepp), os trabalhadores em educação da rede municipal de ensino decidiram entrar em estado de greve. Essa medida é um sinal de alerta ao governo municipal de que a categoria está disposta a ir para o embate de rua caso as reivindicações em pauta não sejam atendidas. 
Entre o que se cobra da prefeitura, a principal pauta é a da implementação da hora atividade, direito garantido pela lei do piso nacional e demais provimentos legais. Durante o ano de 2014 foram feitas várias negociações com o governo que se  comprometeu em implementar esse direito já agora em janeiro de 2015. Porém a conversa agora é outra, o prefeito diz não possuir recursos para arcar com o impacto na ordem de 450 mil/mês que a implementação da hora atividade trará a folha da educação. Por outro lado, se compromete em pagar agora, no pagamento de janeiro, o 1/6 de férias dos professores e no mês de fevereiro reajustar o piso conforme o índice anunciado pelo governo federal de 13,01%, pagando o retroativo a janeiro, e, em março retomar as negociações referentes à hora atividade. 
A categoria não aceita essa proposta de jogar para março a questão da hora atividade, quer uma proposta definitiva ainda nesse mês de janeiro. Para isso a secretaria de educação pediu mais três rodadas de negociações, que acontecerão ainda essa semana. Para a próxima semana deverá ser agendada reunião com o prefeito. 
Assim sendo, sexta-feira dia 30/01, faremos outra assembleia para deliberarmos sobre o que foi discutido com o governo municipal. Caso as negociações não saiam a contento, os trabalhadores em educação estão dispostos a deflagrar greve geral na rede municipal de ensino. 
Além desse ponto, na assembleia também foi discutido sobre a portaria de lotação 2015, que no entender do sindicato, tem sido uma arma do governo contra o servidor, principalmente o servidor de apoio. Para reduzir gastos na Semed, o secretário propõe, entre outras medidas, reduzir o número do pessoal de apoio nas escolas. O que sacrificaria mais ainda esse servidor tão penalizado nas escolas. 
É preciso sim tirar as gorduras, porém essa medida tem que ser pautada no mais amplo estudo para que injustiças não sejam cometidas. O sindicato exigiu do secretário de educação, que já na reunião que deve acontecer hoje, 21, entregue relação completa de todos os servidores, principalmente professores, cedidos com ônus para a secretaria de educação para ocuparem cargos em desviu de função em outras secretarias. 
A categoria espera ainda o pronunciamento do prefeito com relação ao aumento do vale alimentação já congelado há mais de dois anos. Segundo a prefeitura, ainda nesse mês de janeiro será anunciado o valor do aumento desse benefício. 
Outro fato que tem causado polêmica é a situação dos secretários de escola. Esses servidores são concursados para o cargo de auxiliar de secretaria e, como tal, devem cumprir uma jornada de seis horas por dia, 180 horas mês. Quando esse servidor assume a função de secretario de escola, recebe uma portaria que lhe dá direito à gratificação de 35% sobre seu salário. Até então esse servidor, que assumia essa função, continuava cumprindo um turno de seis horas. A secretaria de educação passou a ter o entendimento de que, na função de secretário da escola, e não somente como auxiliar de secretaria, o servidor deveria cumprir a jornada de dois turnos de quatro horas, com intervalo para almoço. O Sintepp exigiu que nesse caso se alterasse a lei dobrando a gratificação para o servidor ter um recompensa financeira pela alteração de seu turno de trabalho. A secretaria se propôs a fazer isso, porém a mudança na lei não aconteceu, mas a exigência de cumprimento dos dois turnos de quatro horas está acontecendo. O Sintepp tentará negociar essa situação nas rodadas de negociação. 
A sensação que ficou para a companheirada é de que a prefeitura tem levado o sindicato no "banho-maria", dessa forma exige que se saia desse embrolho. O descontentamento entre os servidores da educação é geral e já se fala num movimento "Fora João!" e "Fora Pedro!". Esperamos não ser preciso chegar a essas vias de fato, vamos aguardar até o final do mês, com as barbas de molho.






segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

OS HOLOFOTES DE BRASILIA NÃO RESOLVERÃO NOSSOS PROBLEMAS

Recebi a matéria abaixo  com pedido de postagem, farei isso como gosto de fazer, pois acho que a informação tem sempre que ser repassada. Todavia, quero tecer comentários sobre o fato, no mínimo austicuiso de nossos políticos locais. 
Primeiramente, leiam a matéira e vejam a foto que recebi.

Prefeito busca melhorias para a Educação em audiência com ministro



O prefeito João Salame (PROS) e o secretário municipal de Educação, Pedro Souza, mantiveram audiência no final da tarde desta segunda-feira (19), em Brasília (DF), com o ministro Cid Gomes, da Educação, quando falaram das demandas do setor em Marabá.
Acompanhados dos deputados Dirceu ten Caten (PT), estadual, e Beto Salame (PROS), federal, e do vereador Miguel Gomes Filho (PP), o prefeito e o secretário de Educação falaram da necessidade da construção de mais escolas nas zonas urbana e rural de Marabá, assim como escolas de tempo integral, creches, mobiliário para escolas e creches, carteiras escolares, mais ônibus escolares para a zona rural, salário-educação e aumento no repasse das verbas do setor para o município.
O ministro ouviu as reivindicações, recebeu um relatório no qual todas estão listadas detalhadamente, elogiou a iniciativa do prefeito de Marabá e dos políticos que o acompanharam, que buscam melhorias para um setor tão importante no desenvolvimento humano, e prometeu que no mínimo espaço de tempo dará um retorno a João Salame.

Na oportunidade, o prefeito convidou Cid Gomes e estendeu o convite à presidente Dilma Rousseff para a inauguração de três das 22 creches que estão em construção no município. (Ascom PMM)

Essa viagem, nesse momento de embate, é estratégica para o preparo do discurso do prefeito, caso seja deflagrada greve pela categoria. Certamente esse será o seu melhor argumento, deverá falar com certeza à imprensa local Estamos buscando solução, fomos à Brasilia e conversamos com o ministro da educação. O ministro pode intervir no que na situação local? O problema do município de Marabá, como já dissemos, é de renúncia fiscal. Marabá deixa de arrecadar impostos importantíssimos para aumentar a receita e canalizar mais recursos para a educação. A arrecadação hoje anda longe dos 15 milhões mês, quando deveria  ser algo próximo dos 50 milhões ao mês. À educação são jogados migalhosos 1,5 milhão mês, quando muito; sendo que poderíamos estar recebendo no mínimo algo próximo aos 10 milhões ao mês, se somado aos recursos do FUNDEB...
 O prefeito está comprando uma briga com a categoria para não mexer com o empresariado local, que, em boa parte, sonega impostos. Temos dados suficientemente comprobatórios de que se nosso município fizesse o que deve ser feito, a secretaria de educação estaria longe de enfrentar a crise que ai está. 
Não adianta sonharmos com grandes projetos, ALPA, Hidrovia, Hidroelétrica, isso não resolverá o problema financeiro de nosso município, caso não haja vontade política para estruturar o serviço dos auditores fiscais de Marabá. Ficaremos sim com mais problemas na área social, ambiental e de segurança. 
Há em Marabá uma eterna relação de paternalismo entre os prefeitos e os empresários, isso não começou agora, nem tem rumo de se estinguir. Todavia, companheiros, essa é a sangria da educação. Porém, parece que o prefeito prefere buscar os holofotes de Brasília levando consigo um grupo de "renomados" políticos locais. 
Essa não é a solução, não era isso que esperávamos de vocês: João, Pedro, Miguel, Beto e o rebento dos Ten Caten.

VAMOS LÁ NA ASSEMBLEIA, COMPANHEIROS, É HORA DE DECISÃO


Caros amigos e filiados do SINTEPP,

Até o momento não tivemos nenhuma reunião com o Governo Municipal. Sabemos que o Prefeito e o Secretário de Educação já se pronunciaram na imprensa informando que deverão propor mudanças na SEMED cujo o objetivo é reduzir o valor atual da folha de pagamento da SEMED. Isso tem criado diversos rumores, tais como: o corte da gratificação de regência e a redução da gratificação de mestrado e doutorado, porém até agora não há nada de oficial. Mas sabemos, que quando isso acontece sempre somos nós, servidores de carreira, quem mais sofremos as consequências. Exemplo disso é o que já vem acontecendo com as serventes e agentes de portaria que estão sendo remanejados de suas escolas. Justamente os que menos ganham e os que mais precisam. 
Nossa coordenação, conforme mensagem anterior, já aprovou em reunião da diretoria que não aceitará ataques aos direitos dos trabalhadores! As medidas administrativas do Governo devem estar direcionadas a aumentar suas receitas e a reduzir contratações desnecessárias. Qualquer coisa diferente disso resultará no movimento radicalizado dos trabalhadores. 
O Governo já deixou claro que, caso o Sintepp e a categoria decidam radicalizar, que está disposto a debater diretamente com a sociedade, mas neste debate, acreditamos que estamos mais preparados. Pois o povo também está padecendo com a falta de recursos para obras de saneamento e com a falta de saúde pública e de qualidade. 
Queremos deixar claro para a nossa categoria e para a sociedade que a educação não é problema, somos a solução.


Contamos com a participação de todos amanhã (20/01/2014, às 15 horas) em nossa Assembleia.

Não esqueçam "o Sintepp somos nós, nossa força nossa voz"